LOGIN
Usuário
Senha

FARMACOVIGILÂNCIA

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Farmacovigilância é definida como a ciência e as atividades relacionadas com a detecção, avaliação, compreensão e prevenção de eventos adversos ou quaisquer outras situações de segurança relacionadas com os produtos. A responsabilidade de garantir a segurança ao uso de medicamentos é de todos: indústrias, agências regulatórias, profissionais da saúde e também dos pacientes. Portanto, ao tomar conhecimento de um evento adverso por um paciente em uso de produto da Cellera Farma, orientamos que entre em contato conosco através do formulário abaixo, ou entre em contato com nossa equipe de farmacêuticos através do telefone:

0800 17 7003, de segunda a sexta-feira (exceto em feriados), das 8h30min às 16h.

De acordo com a ANVISA (RDC 04/09), evento adverso é qualquer ocorrência médica desfavorável, que pode ocorrer durante o tratamento com um medicamento, mas que não possui, necessariamente, relação causal com esse tratamento.

Então, considera-se como evento adverso:

Suspeita de reações adversas a medicamentos;

Reação a um medicamento que é nociva e não-intencional e que ocorre nas doses normalmente usadas no homem para profilaxia, diagnóstico, terapia da doença ou para a modificação de funções fisiológicas.

Eventos adversos por desvios da qualidade de medicamentos;

Qualquer ocorrência médica desfavorável, que pode ocorrer durante o tratamento com um medicamento, associada à uma reclamação técnica envolvendo o mesmo medicamento (por exemplo alterações de cor, odor, sabor).

Eventos adversos decorrentes do uso não aprovado de medicamentos;

Uso não descrito em bula (“off label”): Compreende o uso em situações divergentes da bula de um medicamento registrado na Anvisa. Pode incluir diferenças na indicação, faixa etária/peso, dose, frequência, apresentação ou via de administração.

Interações medicamentosas;

Resposta farmacológica, toxicológica, clínica ou laboratorial causada pela combinação do medicamento com outros medicamentos.

Inefetividade terapêutica, total ou parcial;

É a exposição ao produto que não resulta no efeito terapêutico desejado para a indicação aprovada em bula.

Intoxicações relacionadas a medicamentos;

Resposta nociva decorrente do uso, intencional ou não, de um medicamento em doses superiores àquelas usualmente empregadas para profilaxia, diagnóstico, tratamento ou para medicação de funções fisiológicas.

Uso abusivo de medicamentos;

Uso excessivo intencional de um ou mais medicamentos que pode ser persistente ou esporádico, acompanhado de efeitos físicos ou psicológicos prejudiciais.

Erros de medicação, potenciais e reais;

Qualquer evento evitável que pode causar ou levar a um uso inapropriado de medicamentos ou causar dano a um paciente, enquanto a medicação está sob o controle dos profissionais de saúde, pacientes ou consumidores. Esse evento pode estar relacionado com a prática profissional, os produtos para a saúde, procedimentos e sistemas, incluindo prescrição, orientações verbais, rotulagem, embalagem e nomenclatura de produtos industrializados e manipulados, dispensação, distribuição, administração, educação, monitorização e uso.

Exposição via pai/mãe;

É a exposição do feto/bebê/criança a um medicamento via pai (durante a concepção) ou mãe (durante a concepção, gestação, parto ou amamentação). Os casos de exposição via pai/mãe devem ser relatados com ou sem reação.

Veja também: