PROFISSIONAIS PROFISSIONAIS DE SAÚDE
LOGIN
Usuário
Senha

Como prevenir a Osteoartrite?

A Osteoartrite não é, como alguns ainda pensam, uma doença vinculada somente à velhice. Ela pode se manifestar em qualquer idade, até porque pode ocorrer em pessoas com joelhos desalinhados (para dentro ou para fora) ou quando acontece alguma lesão nos tecidos das articulações, comum entre alguns trabalhadores e atletas.

Entretanto, é um fato que com o envelhecimento aumentam os riscos de se desenvolver a doença, que acomete atualmente cerca de 85% das pessoas com mais de 75 anos. Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro – segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve um aumento de 18% no número de idosos em cinco anos –, passa a ser ainda mais importante se adotar algumas ações preventivas à Osteoartrite.

Sabe quais são elas? Geralmente, a prevenção envolve a mudança de hábitos e de estilo de vida. Não é diferente quando a intenção é reduzir os riscos de vir a sofrer com a Osteoartrite. Confira o que você pode fazer:

Cuidados para evitar lesões

Devemos evitar carregar muito peso, inclusive quando subimos e descemos escadas, assim como erguer do chão algo pesado, os quais podem lesionar as articulações, especialmente as dos joelhos e da coluna. Atletas, que durante a atividade esportiva sobrecarregam determinadas juntas, precisam ser acompanhados por especialistas da área da saúde.

•  Exercícios

Estão comprovados os benefícios da prática de atividade física – mas sem grande impacto sobre as articulações – com determinada frequência, seja para o funcionamento do coração e da circulação sanguínea, seja para trazer sensação de bem-estar e combater depressão e ansiedade. 

Se praticados conforme a recomendação de um especialista de acordo com as limitações de cada pessoa, os exercícios fortalecem os músculos e deixam as articulações mais saudáveis.

É bom frisar ainda quanto aos grandes benefícios para as articulações e os músculos de se fazer exercícios de alongamento, após a prática de qualquer atividade esportiva. Além disso, considere intercalar períodos de repouso muscular durante os exercícios, evitando sobrecarregar alguns grupos musculares e articulares.

O sedentarismo, por outro lado, torna as articulações mais rígidas e, ainda, com maior propensão a causar dores. Não bastasse isso, há estudos que comprovam que o sedentarismo pode acelerar a instalação e progressão da Osteoartrite.

•  Dieta balanceada

Uma alimentação mais saudável, aliada à prática de atividades físicas, combate a obesidade. Apesar de não causar a Osteoartrite, a obesidade é um fator de maior risco para a manifestação da doença – e, quando um obeso a tem, costuma apresentar um grau mais severo de sintomas.

A dieta deve incluir proteínas (peixes, frutos do mar, carnes magras, queijo branco e leite com baixo teor de gordura), legumes, verduras, grãos, frutas frescas (especialmente as cítricas e as de cor vermelha), além de nozes e castanhas. Alguns temperos também são aliados à saúde das articulações, como alho e cebola, assim como as sementes de chia e de linhaça.

Deve-se reduzir o consumo de massas, doces e gorduras, além de usar o sal com moderação.

•  Suplemento alimentar

Alguns suplementos contribuem com a saúde das cartilagens ósseas e combatem o desgaste das articulações, como os ricos em cálcio, vitamina C e manganês.

O cálcio ajuda na formação e na manutenção de ossos e dentes, e também é um aliado no funcionamento muscular, neuromuscular, no metabolismo energético e no processo de divisão celular.

A vitamina C e o manganês têm ação antioxidante, protegendo contra os danos causados pelos radicais livres.

A vitamina C também atua na formação de colágeno, que são moléculas que compõem a cartilagem das articulações e auxiliam na preservação do tecido articular.

Controle outras doenças

Se você tem alguma outra doença, precisa seguir o tratamento ministrado pelo seu médico. Algumas delas podem se apresentar como fatores de risco aumentado para a manifestação da Osteoartrite, como o Diabetes e algumas doenças autoimunes. Por isso, mantê-las sob controle é importante

A Osteoartrite é caracterizada pelo desgaste da cartilagem nas articulações e por alterações ósseas próximas às juntas. E as áreas mais afetadas são: coluna (região lombar e pescoço), joelhos, quadril, dedos das mãos e dos pés.

O principal sintoma é dor, mas o paciente também pode apresentar rigidez da articulação, inchaço e vermelhidão no local, e até sentir fraqueza e dormência.

Se tem algum desses sintomas, procure um médico especialista. Ele pode diagnosticar e indicar o melhor tratamento, que pode incluir fisioterapia, hidroterapia, medicamentos, suplementos, exercícios específicos… Assim, é possível reduzir a velocidade de progressão da doença.

Se você não tem Osteoartrite, ótimo! E que tal começar já a adotar novos hábitos, de forma consciente, para evitar estar entre os 85% dos idosos que sofrem com a doença?

Veja também: