PROFISSIONAIS PROFISSIONAIS DE SAÚDE
LOGIN
Usuário
Senha

Saiba quais são os tratamentos da Osteoporose

A cura para a Osteoporose seria possível se ocorresse a reversão completa da perda de massa óssea, mas isto ainda não é possível. Existem, porém, diversas estratégias para reduzir a perda e também aumentar a massa óssea.

Dentre elas estão mudança de hábitos, ingestão de suplementos alimentares e medicamentos.  Nunca é tarde para adotar um estilo de vida saudável, que deve ser perseguido por uma pessoa com diagnóstico de Osteoporose. A meta é frear o avanço da fragilidade e ganhar força e equilíbrio, diminuindo assim o risco de fraturas.

Confira os hábitos que devem ser adotados no combate à Osteoporose:

Alimentação saudável:

A dieta deve ser rica em cálcio, encontrado em grande quantidade na soja, feijão branco, vegetais verde-escuros (espinafre, brócolis, couve-manteiga, mostarda, dentre outras), grão-de-bico. Crie o hábito de temperar a comida com algumas ervas (manjericão, alecrim e tomilho) e sementes como gergelim, chia, quinoa.  

A vitamina D tem papel importante na absorção do cálcio pelos ossos e pode ser encontrada no salmão, atum, sardinha, ovo, carne bovina. Entretanto, a quantidade da vitamina nesses alimentos pode não ser suficiente para a necessidade do organismo.  Daí, é preciso tomar sol para ativar a vitamina D, que auxilia na absorção do cálcio, e recorrer a suplementos alimentares.

Por outro lado, deve-se reduzir o consumo em excesso de sal refinado, açúcar, alimentos gordurosos e carboidratos – estes últimos devem ser evitados após às 18h.

Quanto ao leite e derivados, há controvérsias. Muitos especialistas defendem os produtos lácteos como fonte de cálcio. Entretanto, alguns estudos destacam que os menores índices de Osteoporose são encontrados na China e no Japão, onde é baixo o consumo desses produtos.

Atividade física:

A prática de exercícios físicos regularmente é indicada para qualquer idade, respeitando as condições individuais. Para quem tem Osteoporose, as atividades ideais são de leve a moderado impacto, como caminhada, natação e dança, além da musculação, que ajuda no fortalecimento muscular. A frequência, duração e a carga dos exercícios devem ser indicados por um educador físico.

Exposição ao sol:

Tomar sol moderada e diariamente é fundamental para quem tem Osteoporose. A exposição deve ser, preferencialmente diária, durante 10 a 20 minutos, e sem protetor solar. Os raios ultravioletas do sol promovem a síntese de vitamina D presente no nosso organismo e, para isso acontecer, devemos tomar sol com áreas do corpo, como pernas e braços, expostas ao sol.

Café:

O consumo de café deve ser controlado, porque ajuda a eliminar cálcio.

Bebidas alcoólicas:

Devem ser evitadas, ou pelo menos reduzidas, porque prejudicam a produção de novas camadas ósseas pelas células.

Fumo:

O cigarro tem o mesmo efeito que as bebidas alcoólicas.

Essas são recomendações básicas que podem ser seguidas por qualquer pessoa, de qualquer idade, com ou sem a doença. Aliás, se seguir esses hábitos desde cedo, terá reduzida a probabilidade de desenvolver Osteoporose mais tarde.

Para pacientes com a doença, há tratamentos para melhorar a condição dos ossos enfraquecidos. Além de suplementos alimentares para repor vitaminas e minerais necessários para a saúde dos ossos, há medicamentos que agem para retardar a perda de massa óssea e para manter a densidade dos ossos e, assim, reduzindo o risco de fraturas. Confira os principais:

Suplemento alimentar:

O médico pode indicar ao paciente o uso de suplemento alimentar que contenha cálcio e vitamina D, entre outros importantes minerais. Esse produto desempenha papel adjuvante para a saúde óssea. Enquanto o cálcio é destinado à construção de novas camadas ósseas, a vitamina D favorece a absorção de minerais, como cálcio e ferro, pelos ossos. A vitamina D também ajuda na manutenção dos níveis de cálcio no sangue, no funcionamento muscular e no processo de divisão celular.

Medicamentos:

Bisfosfonatos (alendronato, etidronato, ibandronato, risedronato, pamidronato e ácido zoledrônico), calcitonina, ranelato de estrôncio, raloxifeno, teriparatida, denosumabe, tibolona. Há ainda o romosozumabe, um anticorpo monoclonal, já aprovado pelo FDA dos Estados Unidos, mas ainda em análise pela Anvisa para liberação no Brasil.

Alguns desses medicamentos inibem a perda de material ósseo ou reduzem a reabsorção do osso, outros aumentam a formação de massa óssea ou de sua densidade.

O remédio correto deve ser prescrito pelo médico, conforme o caso e o quadro geral do paciente, alerta Osvandre Lech,  ortopedista gaúcho e atual presidente do International Board of Shoulder and Elbow Surgery (IBSES), o Conselho Internacional de Cirurgia de Ombro e Cotovelo.

Terapia de reposição hormonal:

Indicada para mulheres na menopausa, a reposição hormonal auxilia na manutenção da densidade óssea. Essa terapia também alivia os sintomas próprios da menopausa. Também deve ser prescrita pelo médico, que vai considerar os riscos e benefícios.

Sabe-se que não existe uma cura definitiva para a Osteoporose. Porém, há vários tratamentos para reduzir o risco de fraturas e as dores associadas a elas, que acontecem em decorrência da popularmente chamada “doença dos ossos”.

Com a mudança de hábitos, suplemento mineral e medicamento prescrito pelo médico especialista, o paciente viverá melhor.

Veja também: